Neste Blog, o Dr. Paulo Branco irá publicar matérias sobre as suas especialidades, além de responder duvidas e interagir com seus leitores e pacientes.

Fique sempre atualizado para saber das melhores e mais inovadoras técnicas para desenvolver seu bem estar e qualidade de vida.

Envie suas dúvidas e perguntas para: paulobrancoprocto@gmail.com




Algumas amigas e pacientes do Dr. Paulo Branco que inspiraram ele a fazer esse Blog.

Youtube - Dr. Paulo Branco

Youtube - Série especial de vídeos

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Proctologia para o HIV: Passivo primeiro se cuide.


Passivo: Situações proctologicas que impedem a sua realização
 Proctologista: Dr. Paulo Branco
Comentário: Dr. Paulo Branco
msn/mail.face: paulobranco@terra.com.br
Site: www.medicinaintegrada.med.br

Tenha cuidado e paciência:
Todas as agressões  físicas ou químicas que comprometam a integridade da pele perianal e da mucosa retal  deveram ser tidas pelo passivo como uma contraindicação para a penetração que tanto poderá aumentar uma fissura pré-existente pela distensão mecânica,  como representa uma porta aberta para infecções pelas bactérias das fezes e DST. Uma outra duvida e preocupação que com muita frequência aparece como pergunta no meu e-mail, são dos pacientes que realizam o passivo e que foram submetidos a procedimentos cirúrgicos para tratamento de hemorroidas, fissuras, fistulas e hpv anal  querendo saber se a sua vida sexual será a mesma e quando poderá ser retomada.

1- Hemorroidas:
- Iniciais ou de 1/2 graus: Aqui as hemorroidas internas são pequenas, situadas na mucosa retal e antes dos músculos esfincterianos, deixando livre a abertura anal, havendo na relação pouco traumatismo com a glande principalmente se houver uma boa lubrificação. Para que essas hemorroidas não se tornem sintomáticas, você deverá ter uma alimentação rica em fibras, evitar no trabalho e vaso sanitário ficar sentado por longos períodos de tempo, trocar o papel higiênico pelo lencinho umedecido neutro e ingerir 2l de água por dia. Nos pacientes que apresentam sangramento eu tenho tratado com a ligadura elástica, que consiste em secar a hemorroida com um anel elástico e o paciente receberá um guia com os cuidados básicos comportamentais e nutricionais e um CD educativo.

- De 3/4 graus:
As hemorroidas e um coxim de mucosa retal prolapsam ou saem pela abertura anal ocupando um espaço no canal anal e sob a pele perianal. Essas hemorroidas costumam sangrar e muitas vezes são acompanhadas de uma pressão aumentada do musculo formador do esfíncter anal e uma inflamação da mucosa retal chamada de proctite. Não pratique o sexo passivo se você estiver com um sangramento, dor ou ardência, será melhor realizar o tratamento com os cuidados gerais acima referidos  associados ao tratamento medicamentoso e se houver regressão dos sintomas   poderá fazer o passivo. Se a hemorroida é muito grande e não responde ao tratamento clinico será melhor realizar o tratamento cirúrgico e posteriormente retomar a vida sexual. Eu costumo primar pelo resultado estético realizando a menor cirurgia possível e sempre fechando a ferida cirúrgica após a retirada das hemorroidas. Eu aprendi com o publico G e as mulheres a valorizar o resultado estético.

2- Fissura anal:
A fissura anal é um pequeno corte extremamente doloroso sobre a pele do anus. É incrível como alguns pacientes referem fazer o passivo mesmo com a fissura anal, acho muito perigoso por representar uma porta aberta para as infecções locais e DST.

Orientação:
- Fissura aguda: Eu oriento primeiro a tratar a fissura aguda com medicamentos vasodilatadores associados a relaxantes do esfíncter anal ou com o Botox.  Geralmente o resultado é bom e o paciente poderá retomar brevemente a sua vida sexual. Para os pacientes com uma vida sexual muito ativa ou frequente esse tratamento na minha experiência clinica não trás bom resultado e eu prefiro tratar com o laser com uma técnica que o musculo será abordado por fora da abertura anal  que permite uma recuperação pós-operatória muita rápida inclusive a sexual.
- Fissura Crônica:  São as fissuras geralmente com mas de três meses de historia clinica sendo formada por um tecido fibroso que medicamento nenhum retira. Eu prefiro tratar essas fissuras crônicas pela sua retirada com o laser e diminuição da pressão  do musculo anal e liberar posteriormente o paciente para a pratica do passivo.

Comentário: Dr Paulo Branco
A causa da fissura anal aguda ou crônica é o musculo formador do esfíncter anal que está com a pressão muito alta, portanto qualquer forma de tratamento tem que diminuir essa pressão para que a fissura cicatrize o que favorecerá a pratica do sexo passivo posteriormente. Na pratica clinica os meus pacientes referem uma  melhora importante na qualidade de vida, principalmente a sexual.

3- HPV:

A informação mas educativa para os pacientes com essa DST é que essa é uma doença crônica e que os pacientes deveram ter a consciência de que deveram seguir um protocolo de tratamento. Os meus pacientes são orientados para retornar imediatamente pelo aparecimento de qualquer verruguinha ou tecido suspeito. Essa investigação eu faço na parte externa e interna, as vezes usando corante especifico para detectar os vírus. Muitos pacientes vem de outros médicos já praticando o passivo e essa investigação é feita e encontro verrugas dentro do reto e imediatamente peço aos pacientes para interromper  o passivo. A falta de um dialogo claro entre médicos e pacientes será benéfica para o HPV e maléfica para os que realiazam o passivo. Uma outra orientação que eu não indico no protocolo de tratamento da minha clinica é o uso de pomadas pela possibilidade destas determinarem estreitamento e modificarem a estética anal com grande prejuízo para os passivos.

Orientação:
Camizinha: Use sempre camizinha nas relações recentes e tesao de ultima hora como nas baladas.
Promiscuidade: Evite a promiscuidade que é a principal responsável pelo aumento do HPV.
Cirurgia: Após a retirada, acompanhamento clinico e endoscópico e cicatrização, que ocorrera em media 30 dias, eu costumo liberar para o passivo.


Doenças associadas ao HPV:
- Fistulas perianais: Esteve associada em 25% dos pacientes, possivelmente pela obstrução das glândulas determinadas pelas verrugas. 
- Fissura anal: Muitos pacientes chegaram a minha clinica com o diagnostico de fissura pela dor e sangramento anal, porem nos casos associados as verrugas me chamou a atenção a coceira e perda de muco referida pelos pacientes. 
- HPV pênis: O HPV anal geralmente acometeu os pacientes que realizam o passivo e portanto a coexistência foi baixa. Os casos que diagnostiquei as verrugas eram iniciais e estavam associadas a fimose ou excesso de pele que eu tratei com o laser.

4- Fistula perianal:
As fistulas perianais tem uma maior incidência nos pacientes HIV-positivos quando comparados aos soronegativos e nos pacientes que eu operei com laser estavam relacionadas as inflamações do canal anal e glândulas perianais causadas pelas diarréias e pelas bactérias das fezes que penetram nesta glândulas se multiplicam no seu interior e determinam o aparecimento de um abscesso que drenará para o exterior formando uma fistula. Observei também a presença de verrugas do HPV que poderão determinar a obstrução das glândulas e formação do abscesso e fístula. Esses pacientes após a cicatrização da cirurgia da fistula entraram no meu protocolo de acompanhamento do HPV através da realização na minha clinica da Colposcopia a cada 6 meses para o tratamento das formas subclinicas ou assintomaticas do condiloma.

Entenda: As fistulas são infecções que se iniciam nas glândulas dentro do ânus que geralmente estão inflamadas e doloridas. Os pacientes que vem a minha clinica com fistula referem conseguir realizar a penetração no inicio da doença mas com o aumento dos sintomas e infecção a relação ficou impossível.

Orientação:
As fistulas são infecções serias se tornando grave em alguns casos como nos pacientes diabéticos e HIV positivos. Diante disto eu sempre trato retirando a mesma com o laser sob anestesia local e após a cicatrização libero os pacientes para atividades sexuais.

Comentário: Os pacientes HIV positivos poderão ter uma musculatura anal comprometida e eu procuro sempre avaliar essa musculatura, sua função e a relação da fistula com esses músculos o que terá uma grande importância para o resultado final do tratamento cirúrgico. Procuro também realizar uma analise endoscopica detalhada da parte interna do canal anal para detectar verrugas retais e trata-las com o laser de forma adequada.

5- DST infecciosas:
Doenças mas comuns como as causadas por bactérias como a gonorreia e por fungos como as dermatites perianais ( coceira ) eu trato com antibióticos e fungicidas de uso local associados ou não a via oral.


Orientação:
Apos o tratamento com desaparecimento dos sintomas eu peço um novo exame de controle que se negativo o paciente está liberado para as atividades sexuais. As doenças virais, como a hepatite e HIV, mesma com baixa replicação viral e elevada carga de anticorpos deverá ser realizada com preservativos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário