Neste Blog, o Dr. Paulo Branco irá publicar matérias sobre as suas especialidades, além de responder duvidas e interagir com seus leitores e pacientes.

Fique sempre atualizado para saber das melhores e mais inovadoras técnicas para desenvolver seu bem estar e qualidade de vida.

Envie suas dúvidas e perguntas para: paulobrancoprocto@gmail.com




Algumas amigas e pacientes do Dr. Paulo Branco que inspiraram ele a fazer esse Blog.

Youtube - Dr. Paulo Branco

Youtube - Série especial de vídeos

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Relação: Ativo ou passivo quem comanda?


 Ativo ou passivo quem está no comando?
Dr Paulo Branco
Blog da saúde das travestis

Decida:
Na pratica sempre deverá haver uma interação ou troca entre os amantes, ativo e passivo, e uma verdadeira alternância entre os papeis, Infelizmente definidos de forma preconceituosa pela sociedade machista que enxergam na relação gay somente o passivo, a penetração e nunca  uma relação construída com amor.  A vontade, experiência,  excitabilidade e a erotização do casal é que determinaram as diferenças na resposta sexual. Não deveremos na relação confundir os papeis e esperar sempre do ativo a iniciativa e o vigor. Este vigor poderá ser intensamente executado pelo passivo na forma ativa de carinhos, beijos, estímulos eróticos e até mesmo chegando a determinar o ritmo da relação. Na pratica clinica pude observar que na grande maioria dos pacientes que apresentavam alguma forma de traumatismo o ativo ditava e conduzia a relação e o mesmo ocorria geralmente no inicio da penetração. Os papeis de ativo e passivo variam com muitos fatores desde os inerentes a própria pessoa, como o caráter e a personalidade até os externos como o momento e local onde rola o clima. No erotismo o ativo e/ou passivo poderão desempenhar o papel de caça ou caçador, muitas vezes o fazem para satisfazer o seu parceiro, porem o que não suportarão a longo prazo é a rotina que destruirá qualquer libido e deverá ser anulada por um comportamento criativo, versátil, pelo inesperado e deixar que na relação ou mesmo em um encontro sexual tudo ocorra naturalmente e que a experiência vivida possa despertar sensações extremamente prazerosas muito além de uma rápida penetração e ejaculação.


Ativo:
Quem assumir o papel de ativo deverá ser delicado e preservar desde o inicio os bons momentos, evitando o ímpeto, a dor e a violência que muitas vezes acompanha ou está inserido na nossa cultura e para honra-los terão de ser penetradores, racionais e emocionalmente controlados ( Parker, 1991 ). Na relação sexual  o passivo deverá está o mas relaxado possível através de beijos ( Elimina as diferenças colocando os amantes em nível de igualdade ), caricias, sussurros e massagens suaves nas nádegas, períneo, região prostática e músculos formadores dos esfíncteres anais pelo ativo com lubrificantes adequados por cerca de 15 a 30’ antes da relação. As praticas de erotização que mas excitam e relaxam o passivo são o anilingue e a massagem do períneo ( Região entre o anus e a bolça escrotal ) das nádegas, músculos perianais,  e região prostático localizada na parte superior da parede do reto há 3 a 5 cm da abertura anal, que é definida por alguns como o ponto G masculino pela sua rica inervação e vascularização. Fisioterapeutas referem que muitos pacientes referem orgasmo somente pela massagem da região prostática. Estou falando de orgasmo e não ejaculação.

Passivo:
O homoerótico passivo contraria toda uma construção social do que se determina masculino. O anus intacto parece significar o poder imaculado do macho. Se deixar penetrar, será perder essa qualificação. Em virtude disto, muitos jovens vivem de sobressalto de que o homoerotismo afete suas características de homens másculos.  O passivo deverá fazer uma ducha higiênica de trinta minutos a uma hora antes da relação e deverá faze-la injetando pequenos volumes ( 50 a 100ml )de uma solução apropriada somente no reto. Volumes maiores poderão ser aspirados para o intestino grosso e sair na hora da relação. Deverá desfrutar e fazer caricias no ativo, contribuir para uma ereção vigorosa pelo sexo oral ( De uma olhada na glande, corpo do pênis e no meato ou buraquinho da uretra do parceiro para detectar verruguinhas ou saída de secreção ) e ter o controle da glande no inicio da penetração. O contato Inicial da glande ( Cabeça ) com a abertura anal determinará a contração reflexa do musculo formador do esfíncter anal com fechamento  da rima ou abertura  do anus. Tenha calma e faça uma pressão leve com a glande no anus por 2 a 3 minutos que é o tempo que o seu esfíncter levará para relaxar e poderá ocorrer a penetração. Se uma dor forte ou sangramento importante acontecer pare por algum tempo e tente recomeçar com os mesmos cuidados e uma boa lubrificação, se a dor ou sangramento persistir pare de vez e tente outro dia. Nunca caia no serio risco de concordar com o ativo em usar pomadas anestésicas que só irá piorar a situação pelos traumatismos determinados pela perda da  sensibilidade local. Lembrar que o seu anus nunca será páreo para um ativo apressadinho e desgovernado.

Camisinha:
Um ativo consciente, amigo, parceiro deverá  usar sempre a camisinha principalmente naquela relação casual ou após aquela balada.

Mensagem: Dr. Paulo Branco
O amor verdadeiro será sempre acompanhado de paz, aconchego e prazer, independente do papel que você desempenhe na relação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário